Ministério Público do Trabalho decide processar dono da Havan por coagir funcion


Luciano Hang divulgou um vídeo, no qual ressalta que “se a esquerda ganhar” fechará lojas e demitirá empregados

Escrito por: Redação Revista Fórum


Após circular um vídeo nas redes sociais, no qual o proprietário da rede de lojas Havan, Luciano Hang, afirma que faz pesquisas com seus funcionários sobre em quem eles vão votar para presidente e, além disso, pede votos a Jair Bolsonaro e diz que não aceita que eles escolham candidatos de “esquerda”, o Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina (MPT-SC) ingressou, nesta terça-feira (2), com uma ação judicial contra a rede. Na mensagem, Hang ressalta que “se a esquerda ganhar” fechará lojas e demitirá empregados, o que foi considerado pela procuradoria uma forma de coação, de acordo com informações de Marcello Corrêa, de O Globo.

Cabo eleitoral de Jair Bolsonaro (PSL), Hang diz ainda no material que ele “joga a toalha” e vai “repensar nosso planejamento”, antes de fazer ameaças. “Talvez, a Havan não vai abrir mais lojas. E aí se eu não abrir mais lojas ou se nós voltarmos para trás. Você está preparado para sair da Havan? Você está preparado para ganhar a conta da Havan? Você que sonha em ser líder, gerente, e crescer com a Havan, você já imaginou que tudo isso pode acabar no dia 7 de outubro?”

Segundo o empresário, as pesquisas internas mostram que “temos ainda 30% de colaboradores que votarão branco e nulo”. E coage os funcionário. “Depois não adianta reclamar. Se você não for votar, se você anular seu voto, se você votar em branco e depois do dia 07 nosso país lamentavelmente ganha a esquerda e nós vamos virar umaa Venezuela. Vou dizer para vocês, até eu vou jogar a toalha”.


O vídeo foi veiculado em uma rede interna, dirigida a colaboradores. No entanto, passou a circular nas redes sociais na segunda-feira (1). A partir daí o MPT recebeu pelo menos 27 denúncias. O órgão fez uma solicitação de tutela antecipada, para que a Justiça proíba o empresário de pedir votos aos trabalhadores de sua empresa. Agora, a Justiça do Trabalho vai decidir se concede ou não a liminar.

 

Fonte: http://www.contracs.org.br/destaques/1036/ministerio-publico-do-trabalho-decide-processar-dono-da-havan-por-coagir-funcionarios-a-votar-em-bolsonaro

Postado em 09/10/2018

mais noticias >>